A queda de um Presidente

14
1391

O tema quente do momento é a queda de Cavaco Silva. Ui, como seria espetacular se isto não fosse levado à letra. Mas é. Infelizmente, Cavaco cai mesmo (ou quase, pronto) e não caiu no sentido figurado.

O incidente podia ter sido só isso, um incidente, como já aconteceram muitos outros com dezenas de outras celebridades mundiais, inclusive Presidentes de outros países (o Gerald Ford, por exemplo, deu uma queda espetacular das escadas de um avião – podem ver o vídeo mais abaixo), mas as redes sociais fazem com que tudo seja partilhado e debatido na hora e de forma apaixonada. Pouco depois de ter sabido da “indisposição” do nosso Presidente, abri o Facebook e só via três tipos de comentários: os que gozavam com o momento, os que se indignavam com os que gozavam com o momento e os que se indignavam com os que se indignavam com o momento – sendo que estes eram mais do que muitos.

Ou seja, Cavaco Silva sente-se mal, desmaia, é levado em braços por quatro ou cinco homens, com os pezinhos para o ar, e o pessoal, que está completamente farto da classe política, não pode brincar com o momento. Meus senhores: o Cavaco não morreu. Ele só desmaiou. Não foi nada de grave. Não é uma doença fatal, é uma queda, e as pessoas riem-se das quedas, seja lá quem for a pessoa que cai, quanto mais quando é um senhor de quem quase ninguém gosta, mas que por acaso até é nosso Presidente.

Um dos problemas que sempre identifiquei ao nosso povo – e já falei disso no blogue – é o facto de muita gente levar a vida demasiado a sério. Tudo é grave, gravíssimo, motivo de indignação. Não há espaço para brincar – quando alguém o faz está a ser desrespeitoso, insultuoso e mais não sei o quê. Nós, pura e simplesmente, não temos capacidade de nos rirmos de nós mesmos, e isso reflecte-se na nossa cultura, na nossa maneira de ser negativista e quase sempre amarga, desconfiada e intolerante.

Eu cá achei divertidíssimo o episódio do Cavaco a desmaiar, e gostei sobretudo da foto em que ele está a ser levado e tem os pezinhos para o ar. Claro que vou ser crucificado por escrever isto, mas da mesma forma que me ri com a queda do Presidente também me iria rir se fosse a minha mulher a desmaiar num evento qualquer, ou a minha mãe, ou o meu melhor amigo. Claro que poderia haver uns segundos de susto, mas, passado isso, ficaria o lado divertido do momento.

A vida tem muito mais graça quando nos podemos rir dela e quando permitimos que ela se ria de nós, sem que isso nos deixe amuadinhos.

Cá está a famosa queda do antigo Presidente americano Gerald Fo

14 Comentários

  1. Vocês riam-se lá do que quiserem… Eu também me farto de rir quando caio (exceto quando caí com a minha filha ao colo) e claro que também me apetece rir quando vejo alguém cair… Mas convenhamos, desmaiar não é um simples cair. O sr. ameaçou cair porque teve um problema de saúde, não tropeçou!! Eu também não simpatizo com a figura, mas virem todos de boca cheia dizer que há que desdramatizar, e que quem não ri desta situação em específico é… negativo, amargo e intolerante.. poupem-me.
    Queria ver o Arrumadinho a rir, se fossem os pezinhos de algum familiar seu que tivessem ficado no ar, fruto de um momento como o que teve o PR. É que, nitidamente e por momentos pareceu nem saber onde estava ou o que lhe estava a acontecer. Gostava também de assistir às inúmeras gargalhadas que ia dar se isso acontecesse à sua esposa enquanto apresenta qualquer uma atividade, e não, não falo de uma queda, de tropeçar… falo mesmo de algo semelhante ao que aconteceu ao PR.
    E sim, eu sei, vocês é que são os iluminados e inteligentes e que sabem rir das coisas, e escrever bem, e usar coisinhas fofinhas e tal e coisa… essa parte eu sei sim? Sei bem as minhas grandes limitações comparada com gente do vosso gabarito.

  2. Realmente é divertidíssimo, hilariante! Rias-te tanto se fosse a tua mulher a ter um episódio daqueles? Realmente deve ser a comédia pegada. E se fosse o teu filho? Já sei: ficavas preocupado na primeira meia hora mas depois escrevias uma epopeia de tão engraçado que tinha sido. Sim, porque o facto de poder ter sido um episódio grave num chefe de estado maior e deixar sequelas não interessa. Ele é só o nosso presidente, não é uma pessoa.

  3. Eu confesso que não senti nada.

    Neste momento, não respeito o homem nem o cargo, por isso vê-lo a ser levado pelos matulões todos só me fez pensar que ele teve um momento de fraqueza (perfeitamente aceitável para um homem daquela idade) mas que poderia sentir pena se ele não fosse tão nulo como PR.

    Não me orgulho de o dizer pq não fui educada a não ajudar o próximo, mas neste momento em que as coisas estão tão complicadas, não senti pena de um homem que não faz nada pelos milhões que o elegeram; eu tê-lo-ia deixado cair de borco.

  4. Eu não achei graça.
    Ele não caiu, desmaiou (ou reacção vagal, ou coisa que o valha).
    Ver pessoas a passar mal não é uma coisa que me faça rir, confesso (seja lá qual for a cor politica), e eu até sou daquelas que se desfaz a rir qd cai (e olha que me acontece com bastante frequência!!!), mas acho que isto é diferente de uma queda.

  5. Exatamente! Uma coisa é brincar com a situação, outra é desejar a morte e coisas que tal ao homem. Foram mais que muitos os comentários nesse sentido e acho de tremendo mau gosto. Essas “pessoas” dizem ter vergonha de ser português por terem um presidente como o Cavaco. Pois bem, eu tenho vergonha de ser portuguesa quando vejo que o nosso povinho anda a pensar de forma tão leviana. Até porque muitos se esquecem, certamente, que no nosso país ser presidente equivale a quase NADA! Enfim, pontos de vista.

  6. Eu por acaso pensei que tivesse sido algo mais grave, um avc ou algo do genero. Só me lembrei que no hosp da Guarda podia não haver todos os meios médicos que o presidente precisasse e teriam de o transferir de heli. E se não houvesse condições climatéricas teriam de ir de ambulância até Cbr. E aí iriam tlvz sentir na pele o que se anda a fazer à saúde neste país, com a centralizaçao de serviços e etc. Mas isto são coisas que a malta da saúde se lembra. Ainda bem que não aconteceu nada ao senhor…e até foi engraçado sim 😉

  7. Acho que o Ricardo tem toda a razão… Eu fui uma daquelas pessoas que se indignou, não por terem gozado com o nosso Presidente, mas sim por lhe desejarem a morte depois de saberem que se sentiu mal (fiquei boquiaberta). Brincar com a situação faz parte, é preciso desdramatizar. Mas desejar a morte a um ser humano… Por favor. O senhor tem a sua quota-parte de culpa pelo que estamos a passar mas não é motivo para o querermos ver morto e enterrado!
    Indignações à parte, gostei muito deste post 🙂 Continuação de um bom trabalho!

  8. Eu adorei ver as fotos do desmaio do nosso Presidente (até porque sou sempre a primeira a rir-me das quedas das outras pessoas e das minhas, principalmente). E em tudo parecia que ele não se estava a aperceber da situação.
    O que me revoltou foi a tremenda falta de respeito que decorreu nas várias redes sociais. Uma coisa é brincar com a situação. Outra completamente diferente é afirmar que devia ter sido bem pior e coisas do género. Antes de ser Presidente da República, o senhor Cavaco Silva é um ser humano e, tais como todos nós, merece respeito, principalmente numa situação como estas. Fiquei com a sensação que se está a perder o respeito entre as pessoas e isso preocupa-me um bocadinho…

  9. Ri-me quando vi o noticiário, ri-me sempre que me lembrava disso durante a tarde e agora até ri à gargalhada com o vídeo e comparei com o Presidente. Achei hilariante!! 😀

  10. Adorei ver a mão dele sempre no ar, ao ser levado ao colo! Mais que as perninhas. Ehhehe.
    Finalmente leio que viu o lado engraçado do desmaio! 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA