A rádio pela manhã

27
2314

Hoje, quando estava a chegar ao trabalho, vinha a pensar na falta que Ricardo Araújo Pereira faz à rádio. Num ano e meio, ele conseguiu impor um programa que vai ser recordado por muito tempo, que se tornou numa referência de humor, que criou um estilo único e inimitável.

Quando arrancou a “Mixórdia de Temáticas”, já o “Tubo de Ensaio”, de Bruno Nogueira, estava em antena há muitos anos. Era, até então, o melhor que havia para nos fazer rir na rádio.

Hoje, admito, quase não consigo sorrir com os disparates do Bruno Nogueira, num registo que já me cansa, num estilo repetitivo e previsível.

A grande diferença entre Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira sente-se nos dias em que não há assunto. A “Mixórdia” conseguia ir às profundezas idiossincráticas dos portugueses e fazer-nos rir daquilo que somos, o “Tubo” tenta ir pelo registo do stand-up e exagerar situações do dia-a-dia tornando-as cómicas. Algumas vezes com graça, mas quase sempre esquecíveis e irrelevantes.
Assim de cabeça, lembro-me de umas 30 rábulas ou personagens da “Mixórdia” e não me recordo de cinco “Tubos de Ensaio”.

Hoje, Bruno Nogueira esteve cinco minutos a falar de pessoas que espancam os teclados. É verdade, elas existem. E isso tem graça. Mas quem é que nunca fez uma piada com isto? O que tem graça neste registo é o humorista ir buscar coisas a que não associamos qualquer tipo de graça e mostrar-nos o outro lado disso mesmo, criando humor surpreendente. Bruno Nogueira já raramente o consegue (diria que a culpa não é dele, mas mais do João Quadros, que escreve os textos).

Este é um daqueles casos em que não culpo a falta de talento, porque quer o Bruno Nogueira quer o João Quadros são do melhorzinho que existe em Portugal. O problema é mesmo o excesso de anos em antena, o desgaste do modelo. Acho que o “Tubo de Ensaio” deveria ser reinventado, a crónica deveria ter um novo formato. É que quando Ricardo Araújo Pereira entra no jogo, as regras têm de mudar, se não o campeonato fica demasiado desequilibrado.

Escrevi uma coisa parecida há uns tempos sobre a “Caderneta de Cromos”. E, ao que parece, tinha razão. Uns meses depois, a rubrica acabou, porque, acredito, muita gente (como eu) já estava cansada do registo “anos 80”, que, mesmo tendo graça, tornava-se pouco surpreendente, monótono, e forçado. As “Traquitanas”, que até tinham um ponto de partida engraçado, não resultaram, também devido ao contraste que existia entre o programa de Markl e a “Mixórdia”, que passava poucos minutos antes. O pior foi que Markl resolveu procurar a solução num formato antigo, “O Homem Que Mordeu o Cão”, que também não me parece que tenha sido uma solução interessante. Prefiro uma nova ideia, criativa, arrojada, louca, do que uma velha fórmula, mesmo que a novidade acabe por não resultar (se não resultar procura-se outra, é assim que se estimula a criatividade).

Isto tudo resume-se numa frase: tenho saudades das Mixórdias.

27 Comentários

  1. A ''Mixórdia'' era muito boa, espero que regresse o mais rápido possivél. E espero que ''O homem que mordeu o cão'' continue por muitos e bons anos porque apesar de ser um formato antigo acho que continua a ter muita graça, sobretudo por causa do narrador. Falam mal do Nilton mas também lhe acho imensa piada. Quanto ao ''Sérginho'' da Antena 3 (não sei de onde apareceu) mas é bastante perspicaz e corrosivo. o ''Tubo'' penso que é um humor muito bem escrito, mas ás vezes pouco acessível, o que pode maçar algumas pessoas. Acho que estamos bem servidos de rubricas de humor matinais, e se a ''Mixódia'' regressar só virá enriquecer ainda mais o panorama.

  2. Na minha opinião, o nível médio do tubo de ensaio continua a ser muito bom, tem dias em que as crónicas são simplesmente hilariantes. A mixórdia foi uma lufada de ar fresco, adorei, mas não podemos escamotear que havia um bom número delas sem graça nenhuma…E embora o RAP seja um génio do humor, do melhor que Portugal tem, é preciso memória muito curta para esquecer que nos míticos programas dos Gato Fedorento na SIC Radical só havia 2/3 sketches geniais e que o resto era de cortar pulsos…
    É natural que te lembres de mais programas da mixórdia do que do tubo de ensaio. A mixórdia tinha sempre um tema único enquanto no tubo de ensaio há frequentemente mistura de temas.

  3. Saudades das Mixórdias 🙁

    O meu top 5:
    – O professor Chibanga adivinha
    -Titanic é para meninos
    -Anda comigo ver os Óvnis
    -O velha
    -O Natal deu-me cabo da vida

  4. A Antena 3 para mim continua a ser a minha escolha… O trio(Beja, Joana e Luís Franco Bastos) que a anima as manhãs é do melhor, a musica é boa e variada e tem uma grande vantagem em relação às outras rádios… Não tem publicidade!!!

    Cumps.

    FRodrigues

  5. Ouço religiosamente os podcasts do tubo de ensaio todos os dias. Tentei ouvir as mixórdias, e à segunda já não podia. Não acho que seja piada sequer, é piadolas óbvias. E não ajuda o facto de ter os outros broncos todos atrás a estragar tudo a rirem-se alarvemente enquanto o RAP fala ou faz as vozes de matarruano (que deixou de ter piada com o rap dos ditos).

    Prefiro mil vezes ouvir o RAP no governo sombra.

  6. Antena 3 de manhã. Sem o Ricardo a Comercial é só publicidade que já cansa, a sério que não consigo ouvir. O Nilton é um Flop detesto. De todas o que se salva agora de manhã é a Antena3, sem duvida!

  7. Não é por acaso que a Rádio Comercial foi a mais ouvida quando o Ricardo lá estava.. O Markl desenha bem… E é isso.. Acho que de todos os Homem que Mordeu o Cão que ouvi só me ri com uma piada que ele fez.. Apesar de gostar muito de ouvir a Comercial de manhã, a verdade é que eles estão com 10 minutos de publicidade para 5 de programa de rádio e isso não é nada agradável. E se formos ver bem, o tempo de programa de rádio acaba por ser menos se contarmos com os diálogos publicitários combinados, aos iogurtes por exemplo. A Mixórdia foi realmente muito bem conseguida e, apesar de ser necessário esta pausa, está se a tornar torturante…

    Volta Ricardo (O Araujo, não o Arrumadinho que esse tá cá lol)!!!

  8. O Ricardo Araújo Pereira é inteligente ao ponto de perceber quando dever sair de cena, e assim consegue manter o publico interessado porque todos os comediantes tem o seu registo e todos eles são repetitivos ao fim de algum tempo e o Ricardo não é excepção e se repararem lá mais para o final ele estava a abusar um pouco daquelas vozes saloias que só ele sabe fazer.
    Neste ramo é preciso saber gerir muito bem a carreira, porque o humor depende do factor surpresa e se à partida nós já soubermos o que vem a seguir, deixa de ter piada.
    O Nuno Marlk é um bom exemplo de uma pessoa que se tornou repetitiva e sem ideias.

  9. Sempre fizeram mais do Markl do que ele é. Pode ser muito bom a ter ideias e a escrever textos mas a passa-los para a realidade deixa muito a desejar.
    Depois, não sabe quando deve parar. Tal como dizes, a mixórdia foi uma lufada de ar fresco e foi bom enquanto durou (muito antes de realmente ter terminad). O que se seguiu, e por culpa do RAP, não foi além de mais do mesmo, pois, o registo era o mesmo e o tipo de piada ridiculamente igual.

    A imagem do humor tipo em Portugal está gasta e fazem falta mais RAP mas também temos de perceber que não é fácil para o "rapaz" andar sempre na berlinda.

    http://avidadew.blogspot.com

  10. Me toooo!!!! As manhãs ficaram vazias (e os fins de tarde, pois gostava tanto que tentava sempre ouvir uma segunda vez…)… 🙁
    Volta Ricardooooo!!!! Tas perdoado!!!! 😉

    Sandra Fernandes

  11. Concordo com tudo o que já foi dita… Principalmente no que toca ao Nuno Markl: estamos todos algo "cansados" daquela auto-comiseração quase narcisista ("ah e tal, chamavam-me caixa de óculos", "ah e tal, não tinha sorte com as miúdas") e os formatos estão claramente esgotados.. Falta-lhe criatividade, falta-lhe qualquer coisa que o Ricardo trouxe aquele programa. Não que nos conseguisse fazer rir todos os dias, mas na sua grande maioria eram programas muito bons, bem escritos, inteligentes… Como dizia o outro: "Volta Ricardo, estás perdoado!".

  12. O Ricardo tem muito talento. Mas os Gato Fedorento (e mesmo cada um deles em separado) fazem sempre contratos de curta duração. Alguns, como é o caso da PT, vão sendo renovados.

    Pessoalmente, acho que o RAP faz muito bem em aparecer, brilhar e desaparecer. Para que as pessoas se esqueçam. Para que sintam saudades. E para que não se fartem do seu humor.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

  13. Experimenta a Antena 3 pela manhã. Além de outras rubricas, tem o Luís Franco-Bastos que vale mesmo a pena. A Comercial é demasiado "comercial".

    Telma

  14. 3!
    O Ricardo é excelente e nao se esforça demasiado(ou pelo menos nao parece),ao passo que o Bruno ,tb ele excelente,esforça se demasiado por parecer desinteressado..e nao sei, aquele discurso monótono acaba por ser só isso :um discurso monótono…mas a 2a temporada da mixórdia esta a ser escrita, vai ser a série Miranda,penso eu..para quando nao sei.Teremos de esperar..

  15. E eu. Até me custa ouvir o programa das manhãs da Comercial. Voltou a parecer um mar de publicidade com uns tipos bem dispostos de mais (um bocadinho armados em estrelas) com um Markl a cansar cada vez mais. Esse sim, devia tirar umas férias e voltar renovado.

DEIXE UMA RESPOSTA