Fazer um reset às meias perdidas

12
33653
Devia comprar uma cena destas para começar a expor as meias solitárias

É um dos maiores mistérios da humanidade, um drama do quotidiano de muita gente, um problema sem solução aparente e um dilema com que temos de nos debater todas as semanas. Toda a gente percebeu que estou a falar daquelas meias sem par que se vão acumulando no cesto de roupa para passar, sem que saibamos o que é feito da outra igual.

Nos últimos três anos fui acumulando dezenas. Já as conhecia de cor, tinha até um especial carinho por várias delas — algumas bem singulares (literalmente) — e acredito que precisamente por isso nunca tive a coragem de as deitar fora, mesmo estando algumas sem par durante anos.

Tenho sempre alguma esperança de vir a encontrar o par perdido, mesmo que o outro esteja há anos sozinho no tal cesto da roupa. Não acontece frequentemente, mas acontece algumas vezes. Ainda há dias encontrei uma, que estava debaixo da minha passadeira, provavelmente há mais de um ano.

Não vou entrar aqui na parte misteriosa de tentar perceber para onde é que elas vão, já desisti disso, gostava mais de tentar perceber o que é nos alimenta a esperança de as encontrar e nos leva a acumular dezenas de meias sozinhas durante anos. No meu caso, é mesmo só pena. Tenho pena de deitar as meias fora.

Só que essa pena chegou ao fim, e, há dias, passei-me da cabeça e despedi-me de todas elas. Foram mais de 20 que deixei para trás. Quis fazer um reset e voltar a ter um cesto vazio e pronto a receber sempre pares completos. E estou a conseguir. Já vou em duas lavagens e, até ao momento, nem um par perdido. Até quando?

12 Comentários

  1. Nunca tive o problema das meias, uso as redes para a roupa interior (ikea, deve haver nas lojas chinocas): não se escondem no cesto da roupa, não se enrolam na máquina e não desaparecem a secar – simples e eficaz.
    De qualquer modo, “Marie Kondar” a casa e a alma faz sempre bem. Um dia de cada vez.

  2. Serei só eu que não tiro conclusões alem do que está escrito? Ou serei apenas ingénua? De qualquer forma acho tão mau que o Arrumadinho tenha que levar constantemente com ilações que apenas se passam na cabeça de pessoas sem vida e intrometidas!! (O que é que 2 lavagens tem a ver com 2 casamentos se o drama das meias acontece há 3 anos? – talvez desde a altura em que vive na casa atual ou que trata das meias!! – Será preciso ir ali à UBI fazer uma licenciatura de psicologia familiar para decifrar os enigmas destes textos? Não me parece.) Não há pachorra, e se sentes o mesmo Arrumadinho e realmente as tuas intenções são claras (porque só tu podes saber) só te desejo muita coragem!

  3. Então ias deixar de te meter em mil coisas, ias começar a ter mais foco para não deixares nada para trás daquilo em que te metes verdadeiramente e estás desde dia 6 sem escrever uma linha?

  4. As meias desaparecidas não terão sido, inadvertidamente, aspiradas? Se forem de pequena dimensão e estiverem, por exemplo, debaixo da cama, quem usa o aspirador nem se apercebe que o fez!

  5. É uma coisa de que toda a gente fala, esta das meias perdidas mas eu que vivo fora da casa dos pais há 10 anos (tempo pelo qual sou responsável por toda a roupa da casa) perdi pela primeira vez uma meia este inverno! Nunca tal coisa me tinha acontecido e não tenho explicação para isso mas agora sim já posso dizer que tenho uma meia sem par no cesto da roupa…

    • Madalena, procure no filtro da máquina, que é capaz de ter surpresas! Ou então enfiada na borracha à volta do tambor. Quando a minha máquina de lavar avariou, tive uma aula sobre “cenas em geral” perdidas nas borrachas e nos filtros. No meu caso foram essencialmente ganchos de cabelo, um lenço de pescoço/pulso e dezenas daqueles ferrinhos de manter os colarinhos das camisas esticados, mas meias também parece ser comum.

DEIXE UMA RESPOSTA